segunda-feira, 29 de março de 2010

Novos valores

Por Sarah Menezes

Na hora da conquista, Beatriz dava aula de charme, beleza, discrição e sedução. Ninguém resistia.


Se destacava e era sempre a mais cobiçada profissional do sexo no Leblon. Com 1,65m atraía todos os olhares quando calçava um salto 12cm, soltava os negros e longos cabelos que, de tão liso não parava presilha alguma, e se produzia para mais uma noite de trabalho. Tática infalível. Todos a desejava.

Mas Bia era diferente das demais. Escolhia seus homens criteriosamente antes de incluí-los na sua lista de clientes. Tinha que lhe agradar em diversos aspectos, caso contrário, dispensava trabalho mesmo.

Estudante de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a moça de 23 anos era bastante dedicada aos estudos, afinal foram dois anos ralando, durante as horas vagas na pastelaria de seu pai, e estudando freneticamente para passar no vestibular e ir morar na capital.

Esforço recompensado, Beatriz precisava se preocupar com seus gastos de universitária. Todo dia era festa e curtição. Bancar isso não era fácil. As duas colegas com quem dividia o quarto na casa dos estudantes eram mimadas e ganhavam uma gorda mesada dos pais, Bia só recebia o suficiente para se alimentar e pagar pequenas despesas pessoais. Letícia e Fabiana todas as noites convencia Beatriz a ir com elas para baladas enquanto se arrumavam.

Bia começou a não ter mais dinheiro para comer bem todos os dias. Passava a semana comendo macarrão instantâneo para poder conseguir estar presentes em todas as festas. Sua saúde foi ficando frágil, foi internada por anemia, desenvolveu uma úlcera. Decidiu que encontraria uma forma de ganhar dinheiro para manter a saúde e não se sentir envergonhada, incomodada e excluída por não conseguir acompanhar a badalada vida das colegas.

Em uma tarde, quando saiu para passear e fazer os exercícios diários, percebeu que muitos homens também freqüentavam o Leblon, e reparou que a maioria deles se vestiam com roupas caras e iam embora de carro importado. Eles eram atraentes e não paravam de olhar para ela.

Foi quando teve a idéia de seduzi-los e cobrar-lhes por sua companhia e serviço. Com sua beleza estonteante, impunha regras a seus clientes e todos obedeciam.

Não fazia programas com quem não tivesse dinheiro, não fosse casado e nem elegante. Na hora da “H” era ela quem comandava a situação. Deixava os homens loucos e enfeitiçados, pois além dos estudos medicinais, Bia ocupava seu tempo com estudos sobre sexo. Ficou expert no assunto e garantiu a preferência de seus clientes.

As meninas que moravam junto com Beatriz nunca desconfiaram de seu ofício. Até porque não a viam com vários homens diferentes, já que ela era bastante rígida em sua seleção. Além disso, cobrava caro para não precisar fazer vários programas e levantar suspeitas.

Certo dia, em um de seus “encontros”, Bia despertou por Eduardo uma paixão, que foi correspondida. Ele tinha um toque especial que encantou a deslumbrante moça.

Edu era lindo, e obviamente rico. Esbanjava carisma, simpatia e sedução. Beatriz engatou o namoro com o rapaz. Estava perdidamente apaixonada. Parou de trabalhar e Eduardo pagava todas as despesas da amada.

O segredo que o envolvente rapaz escondia era que nunca conseguiu resistir a uma mulher bonita. Jogou todo seu charme e conquistou Fabiana e Letícia. Ambas se tiveram um caso com Edu, afinal ele era irresistivelmente encantador e milionário. Manteve um relacionamento com as três, sem que Bia desconfiasse de ninguém.

Em um maravilhoso e relaxante final de semana em Angra dos Reis, Beatriz teve a maior decepção de sua vida. Ao sair para um passeio de lancha com o amado, esqueceu sua máquina fotográfica em casa, e seu celular estava sem bateria. Bia, com a maior inocência, pois não tinha o costume de vigiar o namorado, pegou o celular dele para registrar aqueles belos momentos. Edu não percebeu que era seu celular que a namorada usava.

Empolgada, ao final da tarde Bia começou a rever todas as fotos que tinha tirado. E sem se tocar começou a ver imagens de outros dias de Eduardo. Para sua surpresa e decepção, ela encontrou uma foto do amado com Fabiana, se beijando. E várias outras, com outras mulheres, onde ele as abraçava e segurava em seu colo. E entre tantas, mais uma apunhalada. Letícia também se envolvera com Edu.

Beatriz foi embora sem que o canalha de seu namorado percebesse. Chegando em casa, foi até o quarto de Fabiana, que estava dormindo, picotou todo o cabelo da traidora. Em seguida, estava em busca de Letícia quando a encontrou no corredor. A garota veio sorridente em direção a Bia e tentou abraçá-la. Beatriz se desviou do abraço e não falou uma palavra sequer. Foi para o quarto, arrumou suas coisas, e quando estava na porta de casa, colocou suas malas no chão, foi até o quarto de Letícia, lhe deu um tapa na cara, virou as costas e foi embora.

A único vestígio que Bia deixou foi um recado para cada um que traiu ela:

“Por que julgar as pessoas sendo que, hipocritamente, no final todo mundo acaba se vendendo por dinheiro, beleza, ou qualquer outro fator?”

3 comentários:

  1. HUHUHU
    MASSA!
    PRENDE ATENÇÃO DO INÍCIO AO FIM!

    BJOS SUCESSO!

    ResponderExcluir
  2. MOral da história: a gente nunca sabe quem é puta. kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir